SIL – para cada aplicação, um produto

14 06 2009

Os fios e cabos elétricos para distribuição de energia, comercializados nas lojas de material de construção ou de materiais elétricos, podem ser classificados quanto à utilização da seguinte forma: fios e cabos para instalação fixa ou cabos para instalação móvel. Além dos itens próprios para distribuição de energia, existem os cabos para transmissão de áudio e transmissão de sinal de vídeo:

sil1

Instalação Fixa – Geralmente, o produto fica oculto na parede e é instalado em conduítes, eletrodutos, eletrocalhas, bandejas, etc. A instalação tem de seguir as diretrizes da norma NBR 5410 – Instalações Elétricas de Baixa Tensão – , da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas). Para este tipo de instalação podem ser utilizados os seguintes itens da SIL:
•Fio Sólido, Cabo Rígido ou Cabo Flexível 750V;
•Cabo Rígido ou Flexível Silnax 0,6/1kV;
•Cabo Flexível Silnax 0,6/1kV HEPR 90ºC;
•Cabo Flexível AtoxSil;
•Cabo Chumbo SIL.

Instalação Móvel – São produtos utilizados na fabricação de extensões elétricas e ligação de equipamentos elétricos e eletrônicos, conhecido como rabichos, utilizados para ligar os aparelhos nas tomadas. Devem ser certificados com a marca de conformidade do Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial) e atender a norma técnica NBR 13249. Para este tipo de instalação, a SIL dispõe dos produtos:
•Cabo Silflex PP 750V;
•Cordão Paralelo 300V;
•Cordão Torcido 300V.

Transmissão de Áudio – São condutores que transmitem sinal de áudio, em sistemas de sonorização ambiente, automotiva e etc. São específicos para aparelhos de som, alto-falantes e caixas acústicas, e atendem equipamentos eletrônicos que exijam cabos polarizados. Por ser incolor, o modelo Cristal pode ser empregado onde seja necessário um cabo discreto. Para a fabricação desses cabos, a SIL segue a norma NBR 5111, que exige 100% de pureza no cobre, e a seção nominal, também conhecida como bitola, tem medidas exatas, por estar em conformidade com a norma NBR NM 280, utilizada para a fabricação das cordas flexíveis de cobre. Para a isolação, a empresa utiliza PVC (cloreto de polivinila) de excelente flexibilidade e durabilidade. Da SIL, estão disponíveis:
•Cabo de Som Bicolor;
•Cabo Cristal Polarizado.

Transmissão de Sinal de Vídeo – São cabos para efetuar a instalação interna ou externa de antenas residenciais ou coletivas – VHF, UHF e parabólicas -, de sistema fechado de vigilância por TV (CFTV) ou de equipamentos de vídeo. Este cabo é certificado pela Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações). O produto SIL para esta finalidade é o:
•Cabo Coaxial RGC-59 75 ohms.

Fonte: SIL Fios e Cabos Elétricos





Cabo tem de ser usado da maneira certa

14 06 2009

sil2

A SIL – Fios e Cabos Elétricos alerta: existem produtos próprios para instalações elétricas fixas e móveis e outros específicos para transmissão de áudio e de sinal de vídeo. A escolha correta garante mais durabilidade e melhor rendimento dos equipamentos e das conexões

O crescente consumo de equipamentos eletroeletrônicos leva muitos consumidores a efetuar instalações aparentes, móveis ou fixas, por conta própria. Outros, também de forma autodidata, executam suas próprias conexões de cabos para transmissão de áudio ou de sinal de vídeo. No entanto, o que muitos esquecem é que, se feitas de forma inadequada podem provocar sobrecarga no circuito, choques elétricos, queima do equipamento e até mesmo incêndios.

Para que o usuário não crie situações que possam colocar em risco a sua segurança, é necessário que ele saiba escolher qual é o produto adequado para cada tipo de instalação. “A correta aplicação do fio ou cabo faz com que se obtenha o melhor rendimento do produto e a garantia de durabilidade da instalação”, explica o engenheiro Nelson Volyk, gerente de engenharia e qualidade da SIL Fios e Cabos Elétricos.

Segundo ele, entre as falhas de aplicação mais comuns estão utilizar condutores para instalações fixas em instalações móveis, cabos de áudio no lugar de cabos de energia, entre outras. “O primeiro passo para o correto dimensionamento das instalações e o conseqüente bom desempenho das mesmas, sejam residenciais, comerciais ou industriais, é contratar um profissional qualificado, que possua conhecimento prático e teórico das atividades. Além disso, o consumidor só deve adquirir produtos de qualidade, confeccionados dentro das determinações das normas técnicas vigentes no País”, alerta o engenheiro da SIL.





Construção civil – redução de IPI favorece vendas

13 06 2009

acomacminiAs lojas que comercializam material de construção em Mato Grosso registraram aumento de até 5% nas vendas em maio. Entre os fatores que contribuíram para o resultado positivo estão a redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), que incide sobre vários produtos, entre eles o cimento, e também ao fim do período chuvoso, em que as construções são retomadas.

O diretor da Associação dos Comerciantes de Material de Construção de Mato Grosso (Acomac-MT), filiada à Anamaco, Antônio Vicente Arruda, acrescenta ainda que com semanas completas no mês passado, mesmo com o feriado de 1º de maio, as lojas permaneceram abertas direto e puderam atender mais clientes. “Tem gente aproveitando a redução nos preços e as facilidades do mercado, que mantém taxas de juros atrativas e crédito fácil. As pessoas estão ampliando, reformando e construindo”, diz ao citar também outros empreendimentos como condomínios verticais e horizontais que mantêm o mercado aquecido.





Gasto com acabamento responde por até 60% na construção civil

12 06 2009

matacabamento

A fase de acabamento das obras de construção e reforma de imóveis é sempre um momento que pesa no bolso de proprietários e construtoras. De acordo com o padrão do imóvel e com o gosto do dono, o valor destinado à compra de materiais para finalizar o trabalho chega a representar até 60% do valor da construção.

Segundo o vice-presidente da área imobiliária do Sinduscon/CE, André Montenegro, o cálculo é apenas uma estimativa, com base na experiência de mercado. “Depende muito da obra. Quanto mais sofisticada ela for, maior será o peso do acabamento no custo total. Num imóvel de luxo, o valor desembolsado para o acabamento corresponde em torno 60%. Os 40% restantes são gastos na estrutura. Já em imóveis voltados a classe média, metade do custo (50%) costuma ser desembolsado para o acabamento e o restante (50%) com a estrutura e nos de baixa renda, apenas 30% do dinheiro é destinado ao acabamento”, explica.

Fonte: Sinduscon CE





BB lança pacote para habitação/construção civil

11 06 2009

bb_logo O Banco do Brasil lançou na semana passada um novo pacote de medidas para ganhar espaço no mercado imobiliário. O banco amplia prazos e limites e barateia o financiamento da casa própria. Agora, o pagamento pode ser feito em até 30 anos, como outros bancos já faziam.

O percentual do imóvel que pode ser financiado também aumentou de 80 para 90%. O juro foi cortado. No financiamento pós-fixado para a compra de imóveis com valor superior a R$ 500 mil, por exemplo, a taxa caiu de 12% para 11%, mais TR. Nas operações prefixadas, a taxa recuou de 15,08% para 13%. Com o pacote, o banco quer multiplicar o volume de crédito por cinco e chegar a R$ 1,5 bilhão até o fim do ano.
Fonte: BB





SBC entra para MCMV

10 06 2009

minhacasaminhavida

O prefeito de São Bernardo do Campo, Luiz Marinho, assinou na última segunda-feira (08/06) a adesão ao programa habitacional Minha Casa, Minha Vida. A prioridade do município é o atendimento às famílias em áreas de risco, alojamentos e os atendidos pelo programa Renda Abrigo que não estejam cadastrados nos programas já iniciados pela prefeitura.

Porém, de acordo com o chefe do Executivo, o cadastramento das famílias começará somente após a ratificação, pelo Ministério das Cidades, dos critérios nacionais de seleção e hierarquização.





Lula e Marcio Fortes lançam o PAC Drenagem

9 06 2009

mincidades

Cidades atingidas por enchentes vão receber R$ 4 bilhões para obras de saneamento

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o ministro das Cidades, Marcio Fortes de Almeida, lançam nesta terça-feira (9) o PAC Drenagem, que vai destinar R$ 4 bilhões para cidades que sofrem constantemente com enchentes e inundações em períodos de chuva. São 101 municípios beneficiados em 16 estados brasileiros. A cerimônia acontece no Palácio do Buriti, em Brasília, às 15 horas.

Além do presidente e do ministro Marcio Fortes, estarão presentes a ministra chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, e o ministro da Integração Nacional, Geddel, e governadores de estados que tiveram projetos contemplados.

“Neste ano e no ano passado vimos cidades serem totalmente devastadas por enchentes causadas por chuvas intensas. Diante do apelo de governadores e prefeitos dessas localidades, o governo Federal resolveu incrementar os investimentos em saneamento básico do PAC, abrindo nova seleção no valor de R$ 4 bilhões para drenagem”, afirma o ministro Marcio Fortes.

Recursos oriundos do Orçamento Geral da União ou de financiamentos do FGTS e do FAT irão possibilitar obras de drenagem urbana e manejo de águas das chuvas. Os projetos prevêem construção de redes e galerias de águas pluviais, dragagem e canalização de cursos de água, implantação de parques lineares e construção de reservatórios de amortecimento de cheias, também conhecidos como piscinões, entre outras iniciativas.

Entre os estados que tiveram projetos selecionados, o de Santa Catarina, fortemente atingido por enchentes no final do ano passado, receberá investimento de R$ 515,3 milhões. Blumenau, Itajaí, Balneário Camboriú, Joinville, Brusque, Biguaçu e Ilhota estão entre os municípios selecionados.

A seleção priorizou empreendimentos em estágio avançado de planejamento, para possibilitar o rápido início das intervenções. Além disso, valorizou projetos de grande impacto para a população local e em consonância com as diretrizes do Programa de Drenagem Urbana Sustentável, dos ministérios das Cidades e da Integração Nacional.

Água e esgoto – Está prevista para agosto a divulgação de mais uma seleção do PAC Saneamento, que destinará mais R$ 3 bilhões para projetos voltados às modalidades de água e esgoto. A seleção vai priorizar municípios com mais de 50 mil habitantes e aqueles que já têm empreendimentos do PAC selecionados e precisam complementar recursos para sua execução. Recursos do FGTS e do FAT irão financiar os projetos.

Serviço:
Lançamento do PAC Drenagem
Data: terça-feira (9/6/2009)
Horário: 15 horas
Local: Salão Branco do Palácio do Buriti – Praça do Buriti – Eixo Monumental Oeste.

Ministério das Cidades
Assessoria de Comunicação





Setor de material de construção cresce 4,5% em maio

8 06 2009

conz

Venda dos produtos com redução de IPI cresceu 10% no período

As vendas no varejo do setor de material de construção cresceram 4,5% no mês de maio, na comparação com maio de 2008. Levantamento da Anamaco (Associação Nacional dos Comerciantes de Material de Construção), entidade que representa as 138 mil lojas de material de construção existentes no país, revelou que, com este resultado, as vendas nos cinco primeiros meses do ano, comparativamente com o mesmo período de 2008, empataram em desempenho. “No acumulado do ano, na comparação com o mesmo período de 2008, o crescimento foi de 0%. Mantivemos os mesmos índices, mas consideramos este dado muito positivo, visto que no ano passado tivemos recorde de faturamento, correspondente a R$ 43,23 bilhões, 9,5% a mais que em 2007”, explica o presidente da Anamaco, Cláudio Conz.

Segundo o estudo da entidade, nos meses de abril e maio, com a redução do IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) incidente sobre 30 itens do setor, produtos como o cimento, tinta e cerâmica tiveram uma redução média nos preços de 8,5%. “Foi necessário vender fisicamente maior quantidade para alcançarmos este faturamento”, explica Conz. “Estes números são muito importantes para o setor, se levarmos em conta que iniciamos o ano com queda de 12% nas vendas em janeiro e fevereiro. Em março, abril e maio tivemos crescimento constante e isto nos permite ter segurança em afirmar que poderemos fechar 2009 com crescimento total de 5% sobre 2008”, completa.

Conz ainda lembra que diversas matérias primas tiveram forte queda em seus preços, caso típico do fio de cobre usado em iluminação e energia, cujo preço, somente neste ano, teve queda de 35%. “Somado a isso, as desonerações em produtos que tem peso expressivo no faturamento do comércio devem manter as vendas em ascensão. O mês de junho, em tese será o último mês em que a redução de IPI estará valendo para esses materiais e haverá um movimento natural de consumidores às lojas. A nossa expectativa é de crescer até 8% em junho na comparação com junho de 2008”, afirma.

Prorrogação da redução de IPI

Sobre a possibilidade de o Governo Federal prorrogar o prazo da desoneração de IPI Cláudio Conz, que é membro do Grupo de Acompanhamento da Crise, criado pelo governo para acompanhar os reflexos da crise econômica internacional nos setores da economia brasileira, diz que a Anamaco está tomando todas as medidas objetivando a ampliação dos prazos, visto que os efeitos do plano “Minha Casa Minha Vida”, só começarão a serem sentidos no próximo semestre. “Já nos manifestamos no Grupo de Acompanhamento da Crise e em outras frentes, no entanto, até o momento, esta redução temporária valerá apenas até 30 de junho”, completa.

Em abril, primeiro mês com redução de IPI, mesmo com apenas 16 dias úteis, os produtos desonerados tiveram aumento de vendas de 25%. Em maio, a venda desses itens cresceu 10%. “Os produtos que foram beneficiados com a redução do imposto representam 15% do mix do negócio de material de construção e tiveram peso fundamental no desempenho do setor nos últimos dois meses. Prorrogar o prazo é manter este aquecimento”, finaliza.





Setor da construção tem novo site de empregos

7 06 2009

pini

Acaba de ser inaugurado o primeiro site de empregos especialmente voltado para o setor da construção civil. O www.piniempregos.com.br é a nova ferramenta de cadastro de vagas e currículos que promete facilitar a vida de quem trabalha com um dos segmentos que mais geram emprego no País.

O PINIempregos é destinado a engenheiros, arquitetos, projetistas, mestres-de-obra e técnicos de edificação, entre outros profissionais. As tabelas e definições do site usam critérios, nomenclaturas e expressões específicas desse setor profissional, o que resulta em maior efetividade em resultados de buscas e maiores chances de casamento dos interesses das partes. Nesta fase inicial de operação, as empresas podem cadastrar vagas gratuitamente e desfrutar de divulgação no portal e sites das revistas publicadas pela PINI.





Campo Grande tem curso de construção civil ecológica

6 06 2009

O FUNSAT – Fundação Social do Trabalho – de Campo Grande/MS promove o projeto “Aprendendo a construir”, com foco na formação de pedreiros, carpinteiros, armadores, eletricistas e fabricantes de tijolos ecológicos com ênfase na conscientização do meio ambiente.

A Prefeitura de Campo Grande divulgou no Diário Oficial desta semana (01/06) o edital de seleção e inscrição dos trabalhadores, que vai até o dia 17 de junho. No total, são oferecidas 40 vagas.

O curso é financiado por meio do convênio com o Sebrae e visa propiciar aos participantes conhecimentos técnicos, teóricos e práticos enfatizando a inserção no mercado de trabalho. Para ingressar no curso, o trabalhador deve atender aos seguintes critérios: possuir renda familiar per capta de até meio salário mínimo, ter acima de 18 anos e ensino fundamental incompleto. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (67) 3314-5068.








Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.